Capítulo 2

Os Nasods e a Dama de El

O rei Nasod

Várias civilizações se espalharam por Elios, vivendo sempre em equilíbrio com a natureza. Usando a energia natural, os humanos passaram a viver uma vida cada vez mais próspera. Não demorou muito para que passassem a encontrar outros usos para a abundante energia natural do mundo e assim sua tecnologia começou a avançar. Dessa forma, acabaram criando os seres biônicos conhecidos como “Nasods”, uma nova raça mecânica criada pelos humanos.

Mas os Nasods não pertenciam à ordem natural do mundo. Apenas sugavam a energia de El para se energizar, sem repassar a energia adiante, já que não faziam parte do equilíbrio natural das coisas. A princípio isso não foi notado, já que eles foram feitos justamente para servir de forma conveniente aos homens e à sua crescente ganância. E assim o poder de El começou a ser gasto para energizar aqueles seres não naturais. Eventualmente, à medida que mais Nasods iam sendo criados, mais o poder da Pedra de El ia se deteriorando e a escuridão se espalhando pelo supercontinente.

Quando finalmente perceberam o que estava acontecendo, os humanos interromperam a produção dos Nasods, mas já era tarde demais. Com o enfraquecimento da Pedra, uma grande catástrofe ocorreu. O mundo foi assolado por um terrível terremoto, seguido de um maremoto que fez os mares invadirem o continente. Quando tudo parecia perdido, uma jovem apareceu e sozinha foi capaz de reacender o poder da Pedra de El. Não se sabe como ela fez isso, apenas que foi graças à força do seu espírito.

Devido ao seu sacrifício, o mundo foi salvo e a Pedra voltou a pulsar com vida. A jovem salvadora passou a ser chamada de Dama de El. Apesar do Poder da Pedra de El não ser mais tão forte como antigamente, o “Cristal da Vida” aos poucos foi restaurando o supercontinente. Desde então, as pessoas passaram a venerar com grande intensidade a Dama de El.